Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Imprensa Notícias 2018 Abril Fapeal e Emater analisam projetos de transferência tecnológica para o campo
30/04/2018 - 08h43m

Fapeal e Emater analisam projetos de transferência tecnológica para o campo

A partir de um edital conjunto entre os órgãos, 80 bolsistas apresentaram trabalhos voltados ao desenvolvimento de pesquisas e atuação tecnológica na agricultura e pecuária

Fapeal e Emater analisam projetos de transferência tecnológica para o campo
Texto de Tárcila Cabral

Engajado com os avanços no campo, o Governo de Alagoas pôde ampliar suas discussões acerca dos recentes estudos nas cadeias produtivas locais. Os resultados apresentados são fruto de uma cooperação técnico-financeira entre a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal) e o Instituto de Inovação para o Desenvolvimento Rural Sustentável de Alagoas (Emater). Foram analisados, na sexta-feira (27), sete projetos desenvolvidos neste ano, por meio da concessão de bolsas para extensão tecnológica, em evento no Polo Agroalimentar de Arapiraca.

 

Agrupados em perfis, os profissionais foram direcionados a executar atividades específicas de coordenação, técnico de nível superior e técnico de nível médio, com formação em áreas como engenharia agronômica, zootecnia, análise de sistemas, ciências da computação, entre outras. Estas atividades foram desenvolvidas no período de 12 meses, e puderam ser analisadas pelas instituições num seminário promovido pela Emater com a presença de gestores de ambos os órgãos e avaliadores ad hoc.

 

Somente nesta última versão foram aprovados 80 bolsistas capacitados em modalidades que englobam estudos na região do Baixo São Francisco ligados à cadeia produtiva do arroz, e outros voltados para Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), à cadeia produtiva do leite e para áreas da comercialização com as políticas públicas, entre outras temáticas. Vale ressaltar a relevância de iniciativas como o Programa Estadual de Aquisição de Alimentos de Agricultores Familiares (PAA), o qual possibilitou no edital um projeto Ater para mulheres rurais.

 

O evento foi acompanhado pelo secretário de Estado da Agricultura, Antônio Dias Santiago, doutor em Agronomia, e o diretor executivo de ciência e tecnologia da Fapeal, João Vicente Lima. Este último pontuou a necessidade de aproximar os dados a uma linguagem mais científica, articulando a sistemática no campo sem comprometer a qualidade dos dados e abordou questionamentos pertinentes à execução de pesquisa.

 

Para a superintendente do Ater na Emater, Rita de Cássia, um importante destaque a esta versão foi a parceria entre pesquisadores e produtores numa concepção participativa: “Os métodos próprios da extensão rural envolveram o saber científico do técnico e o empírico do agricultor, o que se somando auxiliaram nos resultados das ações”, alega a gestora. Os pesquisadores desenvolvem as pesquisas e encaminham para as comunidades no campo informações e novas tecnologias. Já o técnico detendo as informações, deve orientar e implantar o programa em conjunto com o produtor.

 

Este é o caso da pesquisa de rizicultura na região do baixo São Francisco, desenvolvida pelas engenheiras agrônomas Joseane Castro e Ana Lúcia Santos, que desempenharam a função de pesquisa e técnica respectivamente.

 

Levando transferência tecnológica à cultura agrícola, Joseane Castro aborda que os técnicos atuam no campo prestando assistência técnica e extensão rural: “Eles trazem de lá qual a necessidade maior destes produtores em relação a melhoria dos cultivos e, diante disto eu monto um trabalho de pesquisa, para que o resultado do estudo chegue ao produtor e gere um aumento do rendimento, qualidade do grão e automaticamente qualidade de vida”, explica a bolsista.

 

Enquanto técnica, Ana Lúcia Santos, configura que apesar de inicial e complexo, o estudo despontará com soluções assertivas para a implantação de melhores técnicas de adaptabilidade e cultivo do cereal. A proposta foi discutida e recebeu orientações de avaliadores especialistas, os ad hoc como a doutora em zootecnia Mariah Tenório.

 

“Como avaliadora, acredito que ainda faltam números mais concretos nos projetos, devido à lacuna de gráficos que expliquem melhor os índices quantitativos e qualitativos. Porém os temas são muito pertinentes, especialmente o programa do PAA, pois incrementam a renda do produtor rural”, frisa a pesquisadora, salientando a eficiência da parceria entre Fapeal e Emater.

 

 

Antônio Dias Santiago, secretário de Estado da Agricultura (Foto: Ascom /Fapeal)
Antônio Dias Santiago, secretário de Estado da Agricultura (Foto: Ascom /Fapeal)
Apresentação de bolsistas Emater Fapeal (Foto: Ascom /Fapeal)
Dr João Vicente Lima, diretor científico da Fapeal (Foto: Ascom /Fapeal)
Dr João Vicente Lima, diretor científico da Fapeal (Foto: Ascom /Fapeal)
Dr João Vicente Lima, diretor científico da Fapeal (Foto: Ascom /Fapeal)
Fábio Guedes Gomes, diretor-presidente da Fapeal (Foto: Ascom /Fapeal)
Fábio Guedes Gomes, diretor-presidente da Fapeal (Foto: Ascom /Fapeal)
Rita de Cássia, Emater e Gestores Emater e Fapeal (Foto: Ascom /Fapeal)Fábio Guedes Gomes, diretor-presidente da Fapeal (Foto: Ascom /Fapeal)
Fábio Guedes Gomes, diretor-presidente da Fapeal (Foto: Ascom /Fapeal)
Professor emerson Soares, avaliador  (Foto: Ascom /Fapeal)
Promoção da Agricultura Familiar (Foto: Ascom /Fapeal)
 
 
Ações do documento