Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Imprensa Governo discute Seminário Estadual de Extensão Rural para Povos Tradicionais
12/07/2016 - 10h27m

Governo discute Seminário Estadual de Extensão Rural para Povos Tradicionais

Ainda sem data definida, evento reunir entidades estaduais e representantes indígenas e quilombolas

Governo discute Seminário Estadual de Extensão Rural para Povos Tradicionais
Texto de Vinícius Rocha

Em reunião nesta segunda-feira, 11, realizada na sede do Instituto de Inovação para o Desenvolvimento Rural Sustentável de Alagoas (Emater-AL), representantes de órgãos governamentais discutiram a organização e o planejamento para a realização do seminário estadual de extensão rural para povos tradicionais de Alagoas.

 

Segundo o diretor-presidente da Emater-AL, Carlos Dias, a ideia para o seminário é de construir um evento onde as entidades estaduais possam discutir políticas de extensão rural com foco direcionado para as reais necessidades dos povos tradicionais, sejam eles indígenas ou quilombolas. O evento ainda não tem data definida.

 

“Nós vamos contar com o apoio de outros órgãos e secretarias que não puderam estar aqui nesse momento, assim como as lideranças indígenas e quilombolas, para definir temas que possam ser trabalhados nesse seminário. Com relação à Emater, nós iremos propor uma política de ATER voltada especificamente para os povos tradicionais, aliada a política estadual de ATER”,  explica Carlos Dias.

 

Para o vice-reitor da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), Clébio Correia, a extensão rural tem um papel que vai muito além da agricultura. “Entendo que extensão rural é educação, é cultura, então, o seminário deve ser um recorte teórico, pedagógico que possa dar uma resposta concreta do Estado para os povos tradicionais, através de uma política pública de assistência e extensão rural. Essa é a possibilidade desse governo marcar a história”, declarou.

 

Participaram da reunião, representantes da Emater-AL, Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e Secretaria de Estado da Cultura (Secult). 

Ações do documento